The 4 Freedoms Library

It takes a nation to protect the nation

Quem acusa os nacional-identitários de praticar uma “islamofobia” exacerbada, seria bom que começasse a atentar nas palavras de personagens tão insuspeitas, como o digníssimo Cardeal-patriarca de Lisboa, D. José Policarpo.


Num recente encontro com jornalistas, o patriarca manifestou-se preocupado com a perda de IDENTIDADE cultural da Europa, e alertou para que se a Europa não souber preservar essa identidade, virá alguém que lha imporá.

Tentando ser moderado nas palavras, como convém a um homem da Igreja, Sua Eminência não deixou de afirmar que os “irmãos islâmicos são de uma fidelidade muito grande à sua cultura” enquanto que o Ocidente prefere “valores de tolerância”.

Instado a pronunciar-se sobre a questão dos relacionamentos inter-religiosos na Europa, D. José mais uma vez alertou para o facto de que “a convivência não vai acontecer a partir dos nossos valores” e em tom de aviso rematou: “A Europa tem que gerir bem a sua IDENTIDADE neste diálogo”.

Também em França, num estudo publicado pelo diário parisiense «Le Fígaro» efectuado pelos Renseignements Généraux, normalmente considerada como a Polícia política francesa, se alerta para dois factos importantíssimos, e que podem vir a criar sérios problemas ao tecido social francês, e por arrastamento a toda a Europa.

O primeiro facto tem a ver com a conversão à religião muçulmana de um número crescente de cidadãos franceses: referenciados pela polícia existem cerca de 150 mil convertidos de origem francesa e cultura católica, mas na realidade estima-se que o verdadeiro número seja infelizmente bem mais elevado.

A Polícia francesa alerta neste estudo para o risco de derrapagens extremistas que são inerentes ao fenómeno de conversão ao Islão, admitindo mesmo que perante indivíduos frágeis, esse risco aumenta de forma exponencial.

Note-se que estes convertidos são particularmente apreciados pelos islamitas radicais, em virtude da nacionalidade francesa lhes facilitar a travessia das fronteiras ou permitir a sua utilização em operações diversas, como o aluguer de instalações e a deslocação de outros militantes.

O outro facto que o estudo salienta é a excepcional vulnerabilidade das populações mais desfavorecidas face às organizações islamitas radicais.

É bastante fácil manobrar os sentimentos mais primários destas pessoas e conduzi-las ao ódio anti-francês e por arrastamento anti-ocidental; para quem não tem nada a perder e um Paraíso a ganhar, tudo se torna viável e apetecível.

Como vimos, certos sectores do Sistema – Igreja e Polícia – em dois países europeus, Portugal e França, começam lentamente a despertar para o perigo islâmico. Infelizmente entre nós, alguns daqueles que se intitulam nacionalistas, continuam a desprezar este perigo e a apoiar os seus esforços de luta no Médio Oriente.

Como nacional-identitários, devemos manifestar pelo conflito israelo-palestiniano a mais profunda indiferença, em linguagem identitária devemos considerar-nos e praticarmos, o mais total e absoluto ETNO-EGOÍSMO!

Somos europeus e só a nossa terra importa, preocuparmo-nos com guerras civis entre povos semitas, não é mais que um insensato desperdício de forças, energias e meios.

POR UMA EUROPA LIVRE, UNIDA E IDENTITÁRIA!!!

Por RP, publicado no extinto blogue Alternativa Identitária

Exibições: 56

Page Monitor

Just fill in the box below on any 4F page to be notified when it changes.

Privacy & Unsubscribe respected

Muslim Terrorism Count

Thousands of Deadly Islamic Terror Attacks Since 9/11

Mission Overview

Most Western societies are based on Secular Democracy, which itself is based on the concept that the open marketplace of ideas leads to the optimum government. Whilst that model has been very successful, it has defects. The 4 Freedoms address 4 of the principal vulnerabilities, and gives corrections to them. 

At the moment, one of the main actors exploiting these defects, is Islam, so this site pays particular attention to that threat.

Islam, operating at the micro and macro levels, is unstoppable by individuals, hence: "It takes a nation to protect the nation". There is not enough time to fight all its attacks, nor to read them nor even to record them. So the members of 4F try to curate a representative subset of these events.

We need to capture this information before it is removed.  The site already contains sufficient information to cover most issues, but our members add further updates when possible.

We hope that free nations will wake up to stop the threat, and force the separation of (Islamic) Church and State. This will also allow moderate Muslims to escape from their totalitarian political system.

The 4 Freedoms

These 4 freedoms are designed to close 4 vulnerabilities in Secular Democracy, by making them SP or Self-Protecting (see Hobbes's first law of nature). But Democracy also requires - in addition to the standard divisions of Executive, Legislature & Judiciary - a fourth body, Protector of the Open Society (POS), to monitor all its vulnerabilities (see also Popper). 
1. SP Freedom of Speech
Any speech is allowed - except that advocating the end of these freedoms
2. SP Freedom of Election
Any party is allowed - except one advocating the end of these freedoms
3. SP Freedom from Voter Importation
Immigration is allowed - except where that changes the political demography (this is electoral fraud)
4. SP Freedom from Debt
The Central Bank is allowed to create debt - except where that debt burden can pass across a generation (25 years).

An additional Freedom from Religion is deducible if the law is applied equally to everyone:

  • Religious and cultural activities are exempt from legal oversight except where they intrude into the public sphere (Res Publica)"

© 2022   Created by Netcon.   Powered by

Badges  |  Report an Issue  |  Terms of Service